MATÉRIAS PUBLICADAS

 

Informais Votorantinenses podem usufruir do auxílio emergencial implantado pelo governo

Informais Votorantinenses podem usufruir do auxílio emergencial implantado pelo governo
Ana Maria F. Agmont
Em Votorantim, segundo dados divulgados em junho de 2019 pelo Cadastro Único, do governo federal, 3.800 famílias vivem no patamar de miséria e  2.748, enquadram-se na linha de extrema pobreza. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), 661 pessoas foram demitidas em dezembro de 2019 no município.  E somados esses índices, existem ainda os que ficaram sem trabalho este mês devido ao coronavírus. 
Por esse motivo, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), sancionou na última quinta-feira, 02, o “coronavoucher”, projeto que garante o auxílio de R$ 600,00 reais a R$ 1.200 reais para trabalhadores informais, autônomos, desempregados, e MEIs (Microempreendedores Individuais). A renda será paga por três meses, havendo possibilidade de prorrogação.
O votorantinense Mario Henrique Silva tem 42 anos e é técnico mecânico no setor têxtil, ele conta que não aderiu à quarentena por motivos profissionais e que mesmo sendo trabalhador CNPJ, não utilizará da renda disponibilizada pelo governo.
“Até o momento estou trabalhando por que as empresas as quais presto serviço não pararam. Quanto ao auxílio, acredito que mesmo insuficiente, é o que o governo pode disponibilizar agora, mas não o utilizarei porque a renda que ainda tenho é suficiente para me manter”, afirma.
De acordo com o governo federal, o aplicativo para inscrição será liberado nesta terça-feira, 07, e deve beneficiar 20 milhões de trabalhadores informais com direito ao benefício. 
Sara Bouzo Egito de Moura Meira tem 35 anos e se encaixa no perfil por ser trabalhadora informal no varejo em Votorantim, ela mora com o filho de 04 anos, o marido, que é microempreendedor (MEI) e os pais, pertencentes ao grupo de risco. 
“Meu pai é diabético, estamos aderindo à quarentena por segurança à família. Sou a favor do isolamento vertical para voltarmos a trabalhar e não tenhamos que enfrentar os dois problemas, a escassez e a doença”. 
De acordo com o Ministério da Saúde, a primeira morte causada pelo vírus no Brasil ocorreu em 23 de janeiro, mais de um mês antes daquele que foi confirmado como o primeiro caso, em fevereiro. Então se justifica o “Coronavauche” pelos problemas pelo coronavírus.
Entende-se como isolamento vertical apenas o isolamento de um grupo de pessoas, ou seja, as que apresentam maiores índices de riscos, os idosos e portadores de doenças crônicas. Em teoria, a prática permite que o restante não enquadrado volte aos estudos e ao trabalho, fazendo girar a economia.  
O isolamento horizontal abrange a todos, com exceção das atividades essenciais. Ele diminui a incidência do vírus e ainda, permite o setor da saúde pública melhorar a estrutura para atender os possíveis pacientes, evitando assim entrar em colapso.
Quem tem direito?
Podem usufruir o beneficio trabalhadores informais desempregados, autônomos ou intermitente inscrito no CadÚnico até 20 de março deste ano ou que faça auto declaração entregue ao governo, Microempreendedor (MEI) e contribuintes individuais ou facultativo da Previdência. Mães chefes e família podem receber até R$ 1.200,00 reais, o limite por família é de até duas cotas.
Quais as condições?
•Maior de 18 anos
•Não ter emprego formal
•Não recebe benefício assistencial ou do INSS, nem seguro desemprego ou fazer parte de qualquer outro programa de transferência de renda do governo, com exceção do Bolsa Família.
•Renda Familiar, por pessoa, de até meio salário mínimo, equivalente a R$ 522,50 hoje, ou renda mensal familiar de até três salários mínimos (R$ 3.135,00).
•No ano de 2018, recebeu renda tributável menor do que R$ 28.559,70.
Casos no Brasil
Em matéria realizada pela Rádio Votorantim na última sexta-feira, 03, o país já registrava cerca de sete mil casos confirmados do COVD-19 e duzentas e noventa e nove mortes. Três dias depois, de acordo com o monitorizador bing.com/covid, o total até o momento é de onze mil e quatrocentos e cinquenta casos, sendo cento e vinte e sete recuperados e quatrocentos e noventa e dois fatais. 
É sabido que o número de casos vem aumentando, e para evitar uma catástrofe maior na saúde pública, o governador do estado, João Dória, prorrogou nesta segunda-feira, 06, a quarentena para o dia vinte e dois de abril.



< Voltar

Copyright 2022 - Rádio Votorantim    •    Grupo Alphanet Hosting